segunda-feira, 16 de abril de 2007

Sentidos da Europa

Tiziano, O rapto de Europa, 1559-1562 © Isabella Stewart Gardner Museum, Boston

Ontem, falei da necessidade de tomar em conta o contexto da União Européia para entender o sentido das presidenciais francesas. Hoje, o editorial do Le Monde mostra a estreita imbricação política entre os países da UE e, muito particularmente, entre a França e a Alemanha.
Constatando que o ministro da Fazenda da Alemanha, o social-democrata Peer Steinbrück, não foi à reunião do G-7 em Washington, mandando apenas um auxiliar, o principal jornal francês não trepida em pedir a demissão do ministro alemão.
A ausência do ministro da Fazenda em Washington -, decidida em Berlim pelo governo alemão e a chanceler Angela Merkel -, não tem, em princípio, nada a ver com o Le Monde, nem com a França, a Oropa ou a Bahia. Mas, o Le Monde – e a maioria dos pró-europeus – acha que tem tudo a ver com a UE : deixando de participar do encontro do G-7, Steinbrück prejudica a política continental.
Creio que daqui uns anos, este editorial será apontado pelos historiadores como um dos textos marcantes da emergência da consciência européia. Sobretudo se Angela Merkel mandar Peer Steinbrück para o olho da rua amanhã de manhã.

Um comentário:

Ma tête bouge disse...

pois é, vai emergindo
uma verdadeira federação
européia em substituição
a países isolados...