sábado, 7 de fevereiro de 2009

Quem sabe das coisas?

Cúpula latinoamericana de Sauipe

Não vi nenhum jornal brasileiro sequer mencionar o artigo publicado ontem no Wall Street Journal dizendo que o Brasil afirma-se como líder da América Latina, vencendo a parada frente à Venezuela. A respeito do primeiro encontro de cúpula latinoamericano, realizado em Sauipe em dezembro passado, o WSJ diz que o Brasil exerceu uma liderança moderadora, cortando a retórica antiamericana incentivada pela Venezuela. Como se sabe, o WSJ é um jornal conservador que, às vezes, torna-se agressivamente conservador. Nunca poderia ser acusado de lulismo. Não obstante, uma parte importante da mídia brasileira, alimentada pelos artigos e declarações de um quarteto de embaixadores tucanos aposentados, propaga a idéia que a atual orientação do Itamaraty – antes, durante e depois da cúpula de Sauipe - é antiamericana. Condoleezza Rice já havia dito que o Brasil era um aliado leal dos Estados Unidos. Embora reconhecendo que o Brasil não é um « aliado incondicional » dos EUA, pois defende seus proprios interesses economicos e diplomáticos na América Latina, o WSJ reitera a opinião de Condoleezza Rice. Quem conhece melhor os interesses americanos, o quarteto de diplomatas tucanos ou Condoleezza Rice e o WSJ ?

10 comentários:

luiz felipe de alencastro disse...

Não sei de onde copiei a foto deste post. Fico grato a quem puder me mandar a referência. Saiu na Folha, no Estadão ou no Globo, durante a Cùpula de Sauipe, no mês de dezembro.

Anônimo disse...

A política externa brasileira tem mudado a olhos vistos. É só ver a atitude de nossa diplomacia com a Bolívia e agora com o Paraguai. O governo vai aprendendo a não tomar "bolada nas costas" dos nossos vizinhos. Nossos diplomatas de Centros Acadêmicos vão aprendendo da pior forma possível...

Ricardo Reis disse...

Perfeito, lavou-me a alma, pois há tempos que observo os membros do quarteto, em entrevistas -sempre sutilmente-, pontuarem sobre a diplomacia brasileira atual como equivocada, e outros adjetivos que induzem ao "entendimento" de que a chancelaria brasileira durante este governo estaria sendo mal conduzida ou na mão de amadores, etc.
Antigamente chamavam isso de "dor de cotovelo.” Afff!

Anônimo disse...

Estou me penitenciando por só hoje conhecer seu blog (graças a um post no Luis Nassif).
Admirador de sua obra e da sua postura intelectual no debate político, acabo de incluí-lo nos meus favoritos.
Só um comentário: quando o Lupi, ministro do trabalho, falou sobre vincular as ajudas estatais a empresas em crise à manutenção do emprego, uma tempestade de críticas e agressões caiu sobre o governo.
Esta semana o Sarkozy anuncia aí na França um pacote (protecionista até) de ajuda à indústria automobilistica francesa
e vincula-o à manutenção do emprego.
E a nossa imprensa, comenta, compara, aponta as diferenças, justificando, ou destaca as semelhanças, criticando-o? Silencia! Nenhum comentário.

Marcelo Déda

Claudia disse...

Felipe,

que bom te ler novamente por aqui.

Eu não entrava aqui desde novembro e até então você estava sumido. Foram mais de 6 meses, hein? Cheguei a ficar preocupada com a sua saúde.

Olha, esta foto parece com uma que saiu no New York Times, mas na verdade a do NYT é o Evo quem aparece com o Lula, o Raul e o Chavez ao invés da Bachelet. Evo e Bachelet será que não posaram juntos?

Para ser honesta eu desconfio do WSJ do mesmo jeito que desconfio dos diplomatas tucanos, mas se você garante que a Conddoollleeezzzaa é fonte confiável, eu confio em você.

Olha, estou feliz por ter vários artigos teus para ler aqui. Eu cancelei minha assinatura do UOL e teu blog agora é o único acesso ao teu material.

Estamos aí,

Claudia

Claudia disse...

Ih, Felipe,

agora que eu li o comentário do Déda, que pede um comentário a parte.

O que não se claro para ninguém é que a ajuda as empresas para manutenção de emprego vai ser paga com o Fundo de Amparo ao Trabalhador. É o trabalhador ajudando o empresário a gerar empregos miseráveis para o povo trabalhador...

Por que não deixar morrer o que tem que morrer e usar o dinheiro de povo para causas novas mais decentes?

Claudia

Anônimo disse...

Concordo com a Cláudia. Ainda mais que, numa visão mais global, a indústria automobilística é danosa ao planeta, seja como a grande vilã do aquecimento global, seja como uma das causas das guerras mais recentes, como a espúria invasão ao Iraque.

Paulo Werneck

Anônimo disse...

Um embaixador aposentado sentiu-se ofendido e respondeu em seu bloglobal: "Alencastro na França anda comendo muito paté e vai ficando patético".

Agora que sabemos o nome de um dos tucanos tão pouco diplomáticos, resta saber o nome dos outros três, quem serão? Ou dois, já que o Azambuja, também cadeira cativa da Globo organizations (aquela da história da suiça que foi esculachada por um grupo neo-nazi imaginário e forçou o ministro do MRE a fazer um comentário, celebrado num barril de pólvora cheio de letras como sabem ser as manchetes do jornal instititucional) seria na verdade um pinguim deglutidor de sardinhas e sagas escandinavas.
Enfim, quem seriam os outros dois do quarteto?

André Egg disse...

Talvez o WSJ possa ser acusado de lulismo quando a outra opção existente for o chavismo.

luiz felipe de alencastro disse...

Cara Claudia
Obrigado pelo comentàrio atencioso sobre a reativação do blog. Minha saude està boa.
abraços